Um mundo de notícias do mercado cerâmico

Receba Semanalmente a nossa newsletter por e-mail

Após Brumadinho, produção de minério de ferro no país deve cair 6,5% em 2019


Projeção da consultoria Tendências mostra impacto negativo da tragédia também para o setor.

O fechamento de minas e barragens de produção de minério de ferro em decorrência ao rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho (MG) traz impacto negativo para a produção e as exportações de minério de ferro. A tragédia completou cem dias no último dia 4.

De acordo com a projeção feita pela Consultoria Tendências e obtida com exclusividade pela GloboNews, a produção doméstica de minério de ferro deve sofrer uma queda de 6,5% em 2019. Essa redução na produção também se reflete na indústria extrativa e fez a consultoria rever suas projeções. A previsão inicial, que era de crescimento de 3,6%, foi revisada para queda de 3,2%.

Na semana passada, a Vale divulgou balanço do primeiro trimestre, que mostrou prejuízo de R$ 6,4 bilhões. No balanço da companhia, a tragédia resultou em um impacto negativo de R$ 19 bilhões.

O resultado da indústria extrativa só não vai ser pior porque outros complexos aumentaram a produção dentro do estado de Minas Gerais e no Pará, diz Felipe Beraldi, analista responsável pelo levantamento. Para Beraldi, dificilmente essa projeção será revertida.

“As empresas não têm para onde transferir essa produção que está parada. A nossa projeção é com viés de baixa”, disse ele.

As exportações de minério de ferro também caíram tanto em volume quanto em valor. De acordo com dados do Ministério da Economia, somente no mês de abril a redução foi de 27,5%. No acumulado do ano, entre janeiro e abril, a queda foi de 4,3%.

Logo após a tragédia em Brumadinho, a Vale paralisou nove unidades. Em paralelo, decisões judiciais determinaram a paralisação das atividades em outras barragens da empresa no Estado de Minas Gerais e ocasionaram a suspensão das operações nas minas Brucutu (maior operação da companhia na região) e Timbopeba.

Unidades paralisadas em Minas Gerais

- Complexos produtivos Vargem Grande e Paraopeba (total de 9 minas paralisadas: Abóboras, Vargem Grande, Capitão do Mato, Tamanduá, Jangada, Fábrica, Segredo, João Pereira e Alto Bandeira)

- Mina Alegria

- Mina Timbopeba

- Mina Brucutu

Fonte e Imagem: G1, (14/05/2019)



2019 GlobalCeramic- Todos os Direitos Reservados© – Política de Privacidade